• Dornélio Silva

SÉRIE HISTÓRICA DA REELEIÇÃO NO PARÁ


A eleição de 2016, no Pará, mostrou o maior índice de alternância de poder. A taxa de renovação ultrapassou a 69%. Desde a instituição da reeleição no Brasil (primeira reeleição para prefeito foi em 2000) a alternância de grupos políticos no poder é bem maior do que o continuísmo. Desde 2000 até 2012 a diferença vinha sendo equilibrada; no entanto, as eleições de 2016 mostram que a insatisfação com os governantes foi muito maior. Dos 109 prefeitos que tentaram defender seu mandato, isto é, disputaram a reeleição, 69,0% foram derrotados nas urnas; enquanto que apenas 31,0% conseguiram se reeleger.

Pior, ainda, para os 34 prefeitos que já tinham sido reeleitos e que nestas eleições (2016) indicaram seus sucessores. 71,0% não conseguiram fazer seus sucessores; apenas 29,0% conseguiram essa proeza. Esse índice só perde para o pleito de 2008, em que 80,0% dos prefeitos ocupantes do cargo não fizeram seus sucessores. Nas eleições de 2012 o índice de prefeitos que conseguiram fazer seus sucessores foi o maior de todos, 39,0%.

#Reeleição #Pesquisas #Eleições2016

0 visualização

© 2016 criado por "Doxa Comunicação Integrada"

Visite nossa página no Facebook

Blog da Doxa Pesquisa, opiniões em relação a pesquisas eleitorais e de mercado, divulgação de resultados e notícias sobre a política local e nacional.