top of page
  • Foto do escritorEquipe Doxa

ELEIÇÕES 2024: GERSON DOURÃO SAI NA FRENTE NA CORRIDA ELEITORAL EM MOJU

DOXA apresenta sua primeira rodada de pesquisa realizada no município de MOJU, visando às eleições de 2024. Moju, cidade com mais de 83 mil habitantes, está localizada na mesorregião do nordeste paraense. Nesta primeira fotografia do cenário eleitoral que vai suceder a prefeita Nilma Lima mostra o pré-candidato Gerson Dourão na frente com mais de 30% de intenções de voto; já o candidato apoiado pela prefeita, Rubens Teixeira, vem em segundo lugar com apenas 11,8% de citações.

A pesquisa foi realizada no período de 28 de junho a 02 de julho/2023 em todos os bairros da cidade e nas comunidades da zona rural. A amostra foi de 400 entrevistas, tendo uma margem de erro de 3.5% para mais ou para menos dos resultados obtidos na pesquisa.


AVALIAÇÃO CONCEITUAL GOVERNO NILMA LIMA

Doxa perguntou “qual a avaliação que você faz do governo da prefeita NILMA LIMA?”. O resultado mostra uma avaliação positiva de 31,5% (somatória de Bom e Excelente). Já a avaliação negativa chega a 24,8% (somatória de Péssimo e Ruim). A avaliação regular ficou em 38,4%.


PRINCIPAL OBRA/SERVIÇO: MAIS DE 55% NÃO SABEM O QUE A PREFEITA FEZ

O governo de NILMA LIMA é sem visibilidade no que diz respeito às obras ou serviços realizados em MOJU. A pesquisa mostra que 33,6% disseram que a prefeita não fez nada pela cidade; já outros 21,5% não souberam indicar alguma obra da prefeita. Significa que 55,1% da população não vê o que a prefeita faz na cidade. Por isso é um governo sem visibilidade, sem marca. O que aparece é “praças/reforma de praças” com 12,1%, “escolas/reforma de escolas”, 7,3%; “hospital/reforma do hospital”, 5,1%; “quadra de esportes/ginásio”, 5,1% e “asfalto/pavimentação”, 3,2%. Os demais são citações com percentuais abaixo de 3%.


ESPONTÂNEA: DOURÃO SAI NA FRENTE NA ESPONTÂNEA

A pesquisa avaliou alguns nomes de políticos à sucessão de Nilma Lima. Primeiramente, na questão espontânea, em que não se mostra os nomes de pré-candidatos, a pesquisa detectou que é muito grande, ainda, o número de eleitores flutuantes, isto é, que não sabem em quem votar ou que pretendem anular o voto. Esses eleitores flutuantes chegam a somar 68,9%. Gerson Dourão aparece em primeiro lugar com 13,5% das intenções de voto. A prefeita Nilma Lima que não pode mais ser candidata, uma vez que já está em segundo mandato seguido, aparece em segundo lugar com 10,5%; depois vem Rubens Teixeira com 5,2%. O ex-prefeito Ieié está com apenas 1,6%. Pai do Céu vem com 0,3%.


ESTIMULADA ELEITORAL: DOURÃO ESTÁ 18,4 PONTOS NA FRENTE DO 2º COLOCADO

Quando se estimula os possíveis nomes a prefeito de Moju, Gerson Dourão vai para 30,2%. O segundo colocado é Rubens Teixeira que aparece com 11,8%. Na terceira colocação vem o ex-prefeito Ieié com 6,3%. Eliomar Cruz está com 4,3%; o atual presidente da Câmara, Pretão, ficou com 2,4%. Paulo Eduardo aparece em último lugar com apenas 0,4%. Mesmo estimulando os possíveis nomes, o índice de eleitores flutuantes ainda permanece alto: 44,6%.


EM QUEM NÃO VOTARIA PARA PREFEITO DE MOJÚ

Quando se trata de rejeição, Ieié é o mais rejeitado, aparecendo com 15,1% de eleitores que não votariam nele de jeito nenhum. O segundo mais rejeitado é Paulo Eduardo que obteve 5,4%, seguido por Rubens Teixeira com 4,8%. Eliomar Cruz obteve a mesma rejeição de Rubens, 4,8%. Pretão aparece rejeitado por 4,3% dos eleitores. Gerson Dourão aparece como o menos rejeitado com 2,7%.


ANÁLISE

Essa primeira fotografia da sucessão na cidade de Moju mostra uma tendência ao candidato, Gerson Dourão, que disputou a última eleição com a atual prefeita, Nilma. Dourão obteve 28,14% dos votos naquela eleição. Hoje, ele supera sua votação, obtendo um pouco mais de 30%. Como a prefeita não pode mais ser candidata uma vez que está em seu segundo mandato, agora vai ter que indicar alguém para tentar dar continuidade ao seu modelo de governo. O escolhido, até então, é seu vice, Rubens Teixeira (MDB), que aparece nessa primeira pesquisa com um percentual de apenas 11,8%. Como se percebe, é grande a dificuldade num processo de sucessão, principalmente quando o prefeito não tem muita coisa para mostrar ao eleitor. Quando não se percebe essa possibilidade de continuísmo, o eleitor procura a mudança. O jogo só está começando.

DORNÉLIO SILVA - Cientista Político da Doxa.

2.122 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page