• Equipe Doxa

PESQUISA DOXA SOBRE OPINIÃO DO POVO PARAENSE EM RELAÇÃO A OPERAÇÃO DA PF NO ESTADO

DOXA publica sua quinta pesquisa nesse período de pandemia. Nesta, avalia o impacto da operação PARA BELLUM na opinião pública paraense. A operação foi de busca e apreensão feita no Palácio do Governo, na casa de Helder Barbalho, em empresas, nas secretarias da Saúde, Fazenda, casa civil e residências de investigados.

A pesquisa avalia a percepção da população sobre a compra de respiradores e demais casos de indícios de corrupção.

A pesquisa, também, avalia o nível de satisfação da atuação do governo do estado no combate ao Covid-19.

Além disso, a pesquisa identifica como ficou a imagem do governador Helder Barbalho perante o povo paraense após essa operação.

A metodologia utilizada na pesquisa foi dirigida através de Whatsapp em que uma pessoa apenas por ID (aparelho) podia responder, distribuída pelo Facebook e por e-mail. Foi alcançada uma amostra de 2.766 entrevistas, abrangendo todas as seis Mesorregiões do Estado (Metropolitana, Nordeste, Sudeste, Sudoeste, Baixo Amazonas e Marajó), incluindo 90 municípios do Estado, o que representa 62,5% dos municípios paraenses. O período de coleta foi de 11 A 14/06/2020


OPINIÃO SOBRE A AÇÃO DA PF NO GOVERNO DO PARÁ


Sobre a operação da Polícia Federal de busca e apreensão no Palácio do Governo, na casa de Helder Barbalho, em empresas, nas secretarias da Saúde, Fazenda, casa civil e residências de investigados, você acha que:


A pesquisa mostra que 50% da população do Pará considera que a Polícia Federal agiu corretamente ao fazer a operação Pará Bellum. Por outro lado, 24,7% afirmaram que é perseguição política do Governo Federal. Há, ainda, um percentual de 18,5% que afirmam que o governador Helder Barbalho tem culpa. Apenas 5,8% disseram que Helder não tem culpa.


PERCEPÇÃO DA EXISTÊNCIA DE OUTROS CASOS DE CORRUPÇÃO NO GOVERNO

Além do problema com os respiradores, você acha que existem outros casos de corrupção no Governo do Estado do Pará?


A pesquisa aferiu se, além dos respiradores, a população sabe da existência de outros casos de indícios de corrupção no governo do Estado. Os dados indicam que 65,7% afirmaram que existem outros casos. Por outro lado, 17,6% disseram que não. E 16,8% não souberam responder.


OUTROS CASOS DE INDÍCIOS DE CORRUPÇÃO

Você que respondeu sim na questão anterior, quais outros tipos de casos?


Entre os que disseram que existem outros casos, a Doxa pediu para o entrevistados indicarem. Destacamos os seis primeiros colocados: Em primeiro lugar apareceu a situação do “aluguel de ambulâncias superfaturadas”, seguido pelas “garrafas pet superfaturadas”. Em terceiro lugar a questão dos “lanches/merendas superfaturadas”, na quarta posição se destaca “fornecimento de cestas básicas”; na quinta “várias compras superfaturadas” e no sexto lugar “hospitais de campanha superfaturados”.


PERCEPÇÃO DE QUE HELDER SABIA OU NÃO DOS 750 MIL ENCONTRADOS NA CASA DE ASSESSOR.


Helder demitiu o secretário adjunto quando soube que guardava os 750 mil num isopor em casa. Você acha que o governador Helder não sabia desses valores de seu assessor?


A pesquisa mostra que mais de 52% dos entrevistados afirmam que o governador Helder Barbalho sabia dos valores encontrados na casa do secretário adjunto da Sespa. Outros 28,9% disseram que Helder não sabia. E 19% não quis dar sua opinião.


PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO SOBRE A COMPRA DOS RESPIRADORES ENTRE GOVERNO E EMPRESA SKN

O governador Helder Barbalho declarou em uma entrevista coletiva que foi enganado pela empresa SKN, que vendeu os respiradores. Qual sua opinião?


Sobre o fato de o governador ter dito em uma entrevista coletiva de que foi enganado pela empresa que vendeu os respiradores inúteis, a pesquisa quis saber a opinião da população paraense. A grande maioria, 53,5%, afirmou que o governador devia saber que a SKN não era do ramo de equipamentos médicos. Há uma parcela de 16% que dizem que o governador lutou e ressarciu o dinheiro aos cofres do estado. Outros 16,5% afirmam que Helder falou a verdade quando disse que foi enganado.


NÍVEL DE SATISFAÇÃO DA POPULAÇÃO EM RELAÇÃO AO TRABALHO DE HELDER NO COMBATE AO CORONAVÍRUS.

Em relação à atuação do governador Helder Barbalho no combate ao Coronavírus no Pará, você está:


A pesquisa mediu o nível de Satisfação da população em relação à atuação do governador no combate ao coronavírus no Pará. Os dados mostram que 58% estão muito insatisfeitos ou insatisfeitos com o trabalho que ele vem desenvolvendo. Por outro lado, 39,9% estão muito satisfeitos ou satisfeitos com a atuação de Helder no combate ao coronavírus no Pará.


IMAGEM CONSOLIDADA DE HELDER BARBALHO

Quando você ouve falar em Helder Barbalho, qual a primeira palavra/imagem que vem à sua cabeça?


A pesquisa aferiu como está a imagem de Helder Barbalho diante da população paraense após a operação Para Bellum. Para medir, a Doxa perguntou: “quando você ouve falar em Helder Barbalho, qual a primeira palavra/imagem que vem à sua cabeça?”. Ao separar os aspectos Positivos e Negativos, a pesquisa mostra que a imagem Negativa de Helder é de 71% contra 26% de imagem Positiva.


ASPECTOS POSITIVOS DA IMAGEM DE HELDER (26%)

Quando você ouve falar em Helder Barbalho, qual a primeira palavra/imagem que vem à sua mente?

Aqui a pesquisa apresenta os principais conceitos que estão puxando a imagem positiva de 26% de Helder Barbalho. Como se pode ver no gráfico, a percepção de “trabalhador/trabalho/lutador/batalhador/esforçado” é a questão que apresenta maior índice. Depois vem “bom administrador/bom gestor/ótimo”, seguido de” competência/responsável”; depois “líder” e “compromisso com o povo”.


ASPECTOS NEGATIVOS DA IMAGEM DE HELDER (71%)

Quando você ouve falar em Helder Barbalho, qual a primeira palavra/imagem que vem à sua mente?

Quando se trata dos aspectos negativos da imagem de 71% de Helder, o termo “corrupção/corrupto” se destaca com 40,6%; em segundo lugar vem “ladrão/larápio”, 14,7%. O fator “família barbalho” vem em terceiro lugar, seguido por “roubalheira/roubo”, 3,5%.


O universo da Pesquisa: População do Estado do Pará;

Aspectos Metodológicos: Pesquisa dirigida através de Whatsapp em que uma pessoa apenas por ID (aparelho) podia responder, Facebook e e-mail;

Amostra: 2.766 entrevistas, abrangendo todas as seis Mesorregiões do Estado (Metropolitana, Nordeste, Sudeste, Sudoeste, Baixo Amazonas e Marajó), incluindo 90 municípios do Estado, o que representa 62,5% dos municípios paraenses.

Margem de erro: 2,5%; Intervalo de Segurança de 95%;

Questionário: Estruturado em perguntas abertas e fechadas ;

Tratamento estatístico : software profissional QuestionPro, Excel, Power Point.

Período de coleta: 11 A 14/06/2020

Coordenação da pesquisa: Pedro Henrique Brasil

Preparação banco de dados: André Alves e Dayana

Análise e preparação do relatório: Dornélio Silva

918 visualizações

© 2016 criado por "Doxa Comunicação Integrada"

Visite nossa página no Facebook

Blog da Doxa Pesquisa, opiniões em relação a pesquisas eleitorais e de mercado, divulgação de resultados e notícias sobre a política local e nacional.